UM POUCO MAIS SOBRE MIM

CYMERA_20220709_143158.jpg

ESCREVO SOBRE O QUE SINTO E PENSO, DESDE SEMPRE.

Tenho uma alma livre e entusiasmada. E um coração cheio de fé. Nasci assim. Mas demorei vários anos para entender que essa essência deveria estar em tudo o que faço e sou.

Filha de um médico e ativista dos direitos humanos e de uma eterna cuidadora, aprendi desde cedo a importância de deixar o mundo melhor do que o encontrei. Considero-me a filha do meio: tenho uma irmã mais velha e um irmão gémeo que acabou por não se desenvolver na gestação.

Cresci com um sentimento de inadequação e não pertencimento e fui aprendendo a defender-me das imperfeições que o mundo me apontava, com uma série de armaduras: tentava ser indiferente (para parecer forte) ou perfeita (para corresponder), e finalmente sentir-me aceite e ‘normal’.

Foi no começo da adolescência que comecei a perceber o quanto esconder-me das minhas próprias inseguranças, se tornou um peso para a minha autenticidade. O meu aparente amor próprio só sobrevivia quando correspondia, ‘acertava’ e me sentia aceite pelos outros: gostava de mim quando conseguia bons resultados, notas altas, elogios ou quando me comparava com alguém e me sentia superior; mas, nos restantes momentos, eram comuns sentimentos de vergonha e culpa quando contactava com as minhas fragilidades, quando me comparava com alguém “muito melhor do que eu” ou quando sentia que não tinha correspondido com as expectativas de alguém. Tinha medo de ser rejeitada ou excluída por ser como era, por isso, vivi muitos anos convicta de que precisava provar o meu valor ou evitar situações onde sentisse que não tinha a menor chance. Essa insegurança foi-se traduzindo num enorme medo de expressar o que verdadeiramente pensava/sentia (e de impor os meus limites) e num esforço constante para ser feliz sem ‘ser vista’. O meu valor estava refém da aprovação ou validação do outro.

ENVERGONHEI-ME MUITAS VEZES POR SER IMPERFEITA...

e inadequada e, por demasiados anos, julguei e escondi a minha própria humanidade, com medo que ela me ferisse ou me sentisse humilhada sendo como era (Meu Deus, como eu tinha medo da rejeição...) Hoje, sei que não era a única. O mundo ensinou-nos a reprimir as nossas emoções e a esconder a nossa vulnerabilidade, como forma de sobrevivência.

Quando completei os meus 18 anos, tive o meu primeiro grande 'despertar': decidi ir viver sozinha para Itália, em busca de me encontrar. Aquilo que descobri em Itália não foi quem eu era, mas quem eu não eranem precisava ser. Compreendi que, a partir dali, precisava começar a escolher-me mais, mesmo correndo o risco de desagradar. Foi uma enorme jornada mas acredito que, de lá para cá, fui recebendo sucessivos convites da vida para encontrar nas feridas da minha própria história, a missão da minha existência. Percebi com as minha próprias dores emocionais, que o que precisamos não é apenas sentir-nos melhor, mas tornarmo-nos melhores em sentir.

CYMERA_20220806_193156.jpg

HOJE SOU COACH, TERAPEUTA E EDUCADORA EMOCIONAL.

Especialista em autoconhecimento, saúde e inteligência emocional, guio pessoas e grupos em processos de reconexão com a sua humanidade e de reconstrução da sua individualidade, maturidade e autonomia emocional.

Costumo dizer que me dedico a naturalizar processos humanos. Hoje, não quero ser perfeita, especial ou importante. Quero apenas dar-me a permissão e a liberdade de ser Eu mesma, responsabilizando-me por cuidar das minhas dores e buracos emocionais, libertando-me de expectativas disfuncionais, da autoperseguição e do perfeccionismo. Quero viver a minha saúde emocional, livre e plenamente, aceitando toda a minha Vulnerabilidade…e ensinando-te a fazer o mesmo.

Image by Olga Thelavart

APRESENTAÇÃO PROFISSIONAL

Com mais de 300 horas de especialização avançada em Inteligência Emocional, a Márcia conta ainda com certificações em Mindfulness, Psicologia Positiva, PNL, Coaching, Alta Performance, entre outras.

Foi das primeiras mulheres em Portugal a falar, com autoridade nas redes sociais, de Inteligência Emocional aplicada aos processos de reconstrução da autoestima, maturidade e bem estar emocional.
Medita desde os 18 anos, é autora do livro digital ‘Aqui, agora e em frente’ e desde 2016 que partilha gratuitamente material motivacional através das suas redes sociais, inspirando milhares de pessoas.

CYMERA_20220711_215516.jpg

10 COISAS ALEATÓRIAS SOBRE MIM:

1. Nasci no Porto e apesar de viver em Lisboa há vários anos, conservo orgulhosamente o meu sotaque.

2. Aos 18 anos fui viver para Itália, tornei-me vegetariana e comecei a meditar.

3. Entre a minha infância e adolescência, fui solista num coro, toquei violino e guitarra elétrica.

4. Trabalhei alguns anos no universo dos eventos e espetáculos, acreditando, ainda hoje, que a arte e a cultura nos colocam em contacto com as nossas emoções e  nos ajudam a dar significado à vida.

5. Acredito que a empatia e o afeto têm o poder de curar os nossos buracos emocionais e de nos reconciliar com a nossa humanidade.

6. Quando não estou a trabalhar, encontras-me provavelmente num jardim ou parque natural, a organizar a minha casa, com a Koe (a minha cadela), a pintar ou a escrever.

7. Quando gosto muito de uma música, não a deixo chegar ao fim: a faixa ainda vai a meio e tenho a mania de a colocar de novo do início (vezes e vezes sem conta...).

8.  Sou da tribo do sol, do pé descalço e do riso fácil.

9.  Sou introvertida por natureza.

10. Tenho um mantra no meu trabalho: "Saúde Emocional não é sobre curar o teu Sentir, mas sobre Sentir ser a cura".